O auxílio luxuoso

Sei que o que vou dizer não é comum. Nem uma facilidade disponível a todos. Mas, teremos essa facilidade. Minha mãe  minha prima irão conosco, passar o primeiro mês com a gente. Isso, além de minimizar para elas o impacto da saudade (dos netos, da afilhada), nos ajudará muito. Poderemos sair para pesquisar casa, carros, tirar carteira de habilitação, e o que for mais necessário. Vai ser bom também ambientá-las, confortá-las vendo a nossa situação e passear pela nova cidade, aproveitando a oportunidade para explorar e turistar. Minha mãe é muito ligada aos netos. A dor vai ser na volta. Mas, como é por pouco tempo, a tecnologia amenizará a distância. Com as ferramentas de hoje. Pior se fosse antes. A passagem por Atlante serve também para amenizar a distância e o desconforto da viagem.

 

“No dia em que saí de casa minha mãe me disse filho vem cá

Passou a mão em meus cabelos, olhou em meus olhos começou falar

Por onde você for eu sigo com meu pensamento sempre onde estiver

Em minhas orações eu vou pedir a Deus

Que ilumine os passos seus

Ela me disse assim meu filho vá com Deus

Que este mundo inteiro é seu”

No dia em que eu saí de casa – Zezé de Camargo

O que as crianças vão comer lá? Cardápio de uma escola.

CardapioNossos filhos estão mal acostumados. Fazem pouco para se servirem e se virarem – fruto de nossa educação brasileira, superprotetora e remanescente de uma sociedade dividida e elitista.E também acostumados com a comida com sabor acentuado, além de pouco diversa, fruto do que falei no primeiro item. Crianças só comem o que gostam ou o que acham que gostam.

Essa vai ser mais uma grande vantagem da experiência que está por vir: o rompimento desses paradigmas. Nos EUA eles almoçam na escola, lá. E têm que ser autônomos, por necessidade e obrigação. Esse salto de autonomia é benefício esperado também por nós, pais. E alertado para eles desde já. Para que sofram menos e se adaptem melhor. Faz parte  do crescimento.

Mas, o receio é também de maias ainda se acostumarem com as quase inevitáveis porcarias que se come nos Estados Unidos.  E lá, o paraíso do fast food, deve-se redobrar esse cuidado. Léo já menciona,  usando esses mesmos termo, que “nos EUA as porcarias são ainda melhores que aqui”. Apesar do paradoxo da frase, espero que ele não constate isso.

Por curiosidade, pesquisamos o cardápio, aleatoriamente, de uma das escolas. Vejam o que vimos, no arquivo anexo, parece bom:

 

“$3.99 for all you can eat?

Put some food in my plate, and some Coke in my cup

Give me some chicken, franks, and fries

And you can pass me a lettuce. I’m a pass it by

So keep shoveling, (Ha!) onto my plate

Give me some sweets and lots of cake

Give me some hot Macaroni and Cheese!”

All you can eat – The Fat Boys