A chegada dos I-20

IMG_7663Para se dar entrada no visto de estudante, é necessário que a escola onde você foi aceito mande um formulário chamado I-20. A pessoa da escola TEM que ser autorizada pelo governo norte-americano, sob pena de diversas infrações à Lei. Para a escola emitir esse documento, muitos outros devem ser enviados a ela antes. No meu caso,  não só extratos bancários, mas declarações dos bancos, assinadas pelos gerentes, atestando disponibilidade de capital. E declarações de bolsa de estudo e mais.

A escola que escolhi (e que me escolheu) é muito atenta e preparada para isso. Alunos de 135 nacionalidades estudam lá. Eles têm experiência e pessoal preparado para auxiliar neste trabalho.

Pois bem. Chegou no dia 24/04/13o I-20. Tudo certinho. Com ele na mão, poderia me cadastrar no consulado e agendar entrevista.

Mesmo já tendo o visto de turismo/negócios, e também já tendo ido algumas vezes aos EUA, eles exigem nova entrevista por que é um novo tipo de visto. E para esse, tem-se que pagar uma Taxa chamada SEVIS (Us$ 200), que serve para uma repartição de lá investigar a vida do estudante. Além de pagar também as taxas de visto, de US$ 160,00 por pessoa, para agendar entrevista,

A SEVIS só se paga uma vez, mesmo que seja um grupo (família). A outra taxa, uma por pessoa.

 

“Tem que ser selado, registrado, avaliado, rotulado

Se quiser voar (se quiser voar)…

Pra lua a taxa é alta,

Pro céu, identidade,

Mas já pro seu foguete viajar pelo universo, é preciso meu carimbo

Dando sim, sim, sim…”

Plunct, Plact, Zum – Raul Seixas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *