O sonho

Quem não pensa no que vai ser no futuro? Se é menino, é bombeiro, astronauta, médico, engenheiro, policial. E quem dentre os que pensam nisso (todos), tenta de alguma forma por em prática? Ou deixa “vida me levar”  para o que der?  A gente escolhe algumas coisas e se conforma com outras. Alguns lutam bravamente para dar sentido à existência. Outros esperam que a existência em si mostre esse sentido. Todos temos um pouco de cada, em muitos momentos da vida.

Como todos, também pequeno pensei no que queria ser. Dei cabeçadas. Gostei de uma área. De mais de uma. Segui-a. Consegui de certa forma progredir nela. Empreendi, arrisquei. Realizei-me muito.  Uma das coisas que sempre gostei foi de conhecer outras culturas. Me fascinava a ideia do intercâmbio –coisa que não pude fazer na  adolescência. Mas, mesmo sem ter feito, como já postei, fiz amizades e conhecidos fora. E até morei em outro estado, por 5 anos, o Rio Grande do Sul, de onde tenho as melhores lembranças e excelentes amigos.

Mas, mais velho, marido e pai, profissionalmente estabelecido, será que ainda dava para fazer o intercâmbio? De que forma?

Enquanto há vida há esperança. Havia sim.

“Há tempos tive um sonho”
Há Tempos – Legião Urbana

4 responses to “O sonho

  1. Mudar exige coragem, determinação e planejamento. Mas não dá pra combinar o jogo com a vida. Então existe também uma boa dose do desconhecido. Esta parte fica por conta da experiência, da vivência, tão necessárias pra superar adversidades. Parabéns família.

  2. Paulo Regis

    Excelente Dudu, very cool! Também acalentei (e acalento) o sonho do intercâmbio internacional. Embora parcialmente realizado pela experiência de meu filho, ainda quero vivê-lo de alguma forma. Acompanharei sua aventuras com muito prazer! Sucesso!

Deixe uma resposta para familiagaspar Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *